Fuchsia – Novo sistema operacional do Google

Rumores indicam que o Fuchsia será o novo sistema operacional do Google para smartphones e computadores.

Fuchsia: guarde esse nome. Tudo indica que este será o novo sistema operacional desenvolvido pelo Google, para smartphones e computadores.

Muito já foi especulado, mas as únicas palavras da empresa foram “Pink + Purple = Fuchsia (a new Operating System), logo no topo da página do GitHub (serviço de hospedagem cibernética compartilhado para projetos Git ou sistema de controle de versão). Em tradução livre, seria: Rosa + Roxo = Fúcsia (um novo sistema operacional). Pelo pouco divulgado, podemos especular que o termo “fuchsia” será a junção de algo, talvez do Google Chrome OS e do Android, pois a cor fúcsia (em português) é a mistura de rosa com roxo. Segundo a empresa proprietária da criação, o novo sistema operacional tem como alvo os celulares modernos e os computadores de uso pessoal modernos. Podemos esperar, portanto, um sistema que mistura realidades virtuais.

O que podemos esperar? O próprio Google, como dissemos, não tem revelado muito a respeito, pode se tratar apenas de um teste futuramente descartado de um terceiro software, ou não, talvez o novo sistema seja o novo futuro. Por ser uma mistura de sistemas operacionais, o fuchsia poderia substituir plataformas antigas de suas versões, como as já citadas Android e Chrome OS. Outra possibilidade seria, também, a substituição do Linux pelo fuchsia em novos aparelhos com Android e Chrome OS. Seu código do núcleo será projetado para ser mais leve, conclusão que podemos chegar levando em conta o OS, que é feito pelo Magenta, um micro kernel de tamanho médio, autoembasado num projeto intitulado Little Kernel. Em relação ao Little Kernel, o Kernel Magenta será capaz de suportar contas de usuários, funções de segurança e tudo o que é preciso para ser um sistema operacional completo. O jeito é aguardar para o que a multinacional nos revelará, enquanto conferimos outras novidades especuladas pelo Android Police:

– Programação em DART (linguagem criada pelo Google);

– Interface cuja construção é feita em FLUTTER (permite rodar aplicativos de Android e OS a partir do mesmo código);

– Motor ESCHER (renderização que pode suportar sombras, reflexos e efeitos visuais diversos).

Se a curiosidade for muita, você pode simular o fuchsia no seu smartphone ou computador com os códigos da página: https://fuchsia.googlesource.com/magenta/+/master/docs/getting_started.md

Por Anna Karolina Velasques

 

Google Fuschia

Postar Comentário