Streaming de Jogos e Aplicativos pode substituir Download em Lojas no Futuro

Futuro dos aplicativos e jogos pode estar no streaming. Consumo de dados é o principal problema.

O Streaming de apps ou a simples possibilidade de poder passar os jogos e apps para o aparelho celular sem ter que baixá-lo poderá em breve substituir a necessidade de se fazer o download nas lojas oficiais, como atualmente estamos habituados a fazer. Bom, ao menos é isso que pensa Wally Nguyen, o CEO da mNectar. De acordo com ele, tem-se percebido uma insatisfação cada vez mais crescente sobre os apps que precisam ser baixados. Entretanto, com os avanços na área, essa situação pode estar perto de mudar.

Em uma entrevista concedida para o Business Insider, o CEO aponta alguns aspectos interessantes sobre os quais a tecnologia envolvendo streaming de apps tem uma grande chance de mudar o mercado de aplicativos.

Um dos pontos abordados pelo especialista é o fato de que o streaming poderia aumentar a conversão de taxas. O Tech Crunch analisou a questão e constatou que uma faixa de 75% dos aplicativos são deletados em um período de 24 horas depois de terem sido baixados. Aqui no Brasil os usuários, cerca de 93%, costumam excluí-los em um período de duas semanas. A mNectar afirma que os aplicativos via streaming conseguem 7 vezes mais conversões.

Outro ponto interessante é a questão de fazer com que os usuários baixem os aplicativos, que acaba saindo caro. São mais 4 milhões de apps disponíveis na Google Play e na App Store. Para fazer com que esses aplicativos fiquem mais visíveis aos usuários, as empresas e também os desenvolvedores tem gastado uma grana em uma publicidade cada vez maior.

Nguyen ainda chama a atenção para a questão de que os aplicativos por streaming acabarão por permitir que os desenvolvedores possam acompanhar a taxa de envolvimento do usuário em tempo real. Assim, ele poderia usar esses dados para fazer atualizações e modificações com o intuito de impulsionar o uso do mesmo.

Ainda assim, é importante notarmos que o streaming ainda pode representar um certo perigo para os planos de dados dos usuários. Isso pode virar uma dor de cabeça já que uma grande parte dos usuários de dispositivos móveis precisam deles para as mais variadas ações. Com isso, poderão até se recusar a usar a tecnologia.

De qualquer forma, a questão toda é interessante. Mas ainda falta muito a ser trabalhado para que não seja feita a substituição de algo ruim por outro pior.

Por Denisson Soares

Postar Comentário